A Comunidade Missão Theotokos tem como finalidade primeira a Reconciliação, levando as almas a terem uma profunda experiência com o Amor de Deus, anunciando Jesus Cristo como único Senhor e modelo do Homem Novo. Proclamar que a Santíssima Virgem Maria cooperou na salvação da humanidade e anunciar a beleza e o tesouro que é a Santa Mãe Igreja, como fundamento e sustento da verdade.                 .
Somos chamados a pregar o Reino de Deus a toda criatura. Também somos chamados a testemunhar Jesus Cristo na vida profissional, em família, em comunidade e por onde andarmos.

Para o pleno desenvolvimento do nosso Carisma, se fazem necessário algumas virtudes, que o Pai, sabendo de nossas limitações, semeou entre nós:

Deus confiou a nós, assim como toda sua igreja, uma missão. A nossa missão define-se a partir do carisma e da espiritualidade Theotokos. Por inúmeras vezes já falamos sobre o que a Comunidade representa para a Igreja, mesmo reconhecendo que somos tão pequenos e desprovidos de conhecimentos que julgamos serem necessários para a realização dos projetos de Deus. Não podemos negar que somos uma possibilidade e uma realidade que Deus usa para chegar até seus filhos, e este “caminho” que poderíamos chamar até de “via-theotokos”, tem a missão de trazer para embarcar neste “navio” chamado de Igreja Católica Apostólica Romana, todas as almas dispersas pelo pecado.

Somos uma Comunidade Mariana, devemos ter os traços de Maria, para que nossa evangelização seja eficaz. No entanto, a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, deve ser o motivo mais doce e mais violento para animar nossos corações.

Docilidade não pode ser apenas uma palavra que ecoa dos nossos lábios, deve ser, antes, um reflexo de Deus.

Como trabalhadores da vinha do Senhor, e no exercício do nosso carisma, a alegria deve estar sempre sendo cultivada em nossos corações para que, aqueles que se apresentam diante de nós, possam colhê-la.

A alegria é um dos frutos do Espírito Santo, cumpre cultivá-lo e colhê-lo. Devemos ter júbilo, apesar de todas as circunstâncias da existência. “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos.”

A docilidade ou a mansidão está totalmente ligada à acolhida.

Por isso a Comunidade Missão Theotokos, precisa buscar o dom do acolhimento, pois é o primeiro sinal evidente de que a comunidade está viva. Por isso se faz necessário entender, o que é acolhimento para poder acolher bem.

Acolher não significa abrir as portas da Comunidade, e sim as portas do coração. Se uma Comunidade é atraente, é porque ela é cheia de amor, cheia de vida, e a vida chama a vida.

O acolhimento é uma atitude que necessita de desprendimento e de consciência, pois se o coração não se abre ele tende a se fechar, se o coração não ama, ele tende a ficar frio e duro e o coração deste tipo não consegue atrair ninguém, e nós não somos chamados a levar a mensagem da reconciliação?

Se Deus semeou em nossa comunidade a virtude da acolhida, é preciso compreender que acolher é dizer às pessoas “Entrem”. É dar espaço, é ouvir, é ver o dom é olhar com amor”.

A vontade de servir Cristo, por meio de sua Igreja, é a consequência natural, de quem fez uma experiência de intimidade com Deus, e este exercício excelente nos leva para uma doação e entrega das nossas vidas, que exige de nós uma decisão de renunciar a própria vontade, de tal forma que não encontramos paz e alegria, a não ser no cumprimento da vontade de Deus. Precisamos dobrar nossa vontade à uma vontade muito maior e mais coerente do que a nossa: a vontade de Deus.

A imagem representa o carisma e a nossa espiritualidade. Ela é o carisma em forma de imagem, pois como é da Tradição de nossa Igreja, a imagem traz em si o que as palavras muitas vezes não conseguem dizer. Assim sendo, temos neste símbolo a ser interpretado:

Em primeiro plano temos o ícone da Santa Mãe de Deus, que nos olha atentamente, pois como nossa mãe vê todas as nossas necessidades e com ternura sustenta o braço direito do Senhor, ou seja, o braço da benção. A Virgem está revestida com as cores da realeza: vermelho, verde e dourado, cores usadas apenas pelas imperatrizes. Note-se que o Senhor também está com vestes reais e assentado no colo da Virgem como se estivesse num trono, com a mão esquerda segura o pergaminho, que é a palavra de Deus.

Docemente a Virgem parece beijar a mão do Senhor, o que nos lembra a sua missão de co-redentora, medianeira das graças do Senhor. A outra mão da Virgem está envolvendo o Filho numa atitude de carinhosa intercessão. Ao mesmo tempo em que nos olha e segura à mão do Filho, Ela parece direcioná-la com a sua própria mão de Mãe em nossa direção, mão que estende á nos, a nossa procura para nos reconciliar.

Vê-se também ao redor da Santa Mãe de Deus cinco estrelas, que são as características da nossa espiritualidade, cada uma disposta ao redor da Virgem parece formar uma estrela maior, que é a Virgem Maria, Estrela da Evangelização.

Ao fundo nota-se a grande Basílica de São Pedro, lembrando que nosso carisma procede da Igreja, Mãe e Mestra da Verdade, tendo nas laterais as portas abertas, esperando por nossa volta com a mesma disposição do pai da parábola do Filho pródigo. As duas imagens juntas, da Virgem e da Basílica nos trazendo juntas o Senhor, nos lembram nossa identidade enquanto católicos.

São cinco as estrelas que representam o nosso carisma e espiritualidade que Deus semeou no meio de nós, e que são necessárias para a prática do apostolado da Comunidade Missão Theotokos.